fbpx

Por que o WordPress?

Você sabia que o WordPress é o CMS mais usado no mundo?

Alguns dos maiores e melhores sites em todo o mundo são desenvolvidos sobre a plataforma open source do WordPress. Sony Playstation, BBC America, Coca Cola France, Kate Perry, até a Nasa (projeto open.Nasa), Google Ventures e, quem diria, Forbes e Facebook Newsroom usam WORDPRESS. São tantos que é preciso uma sessão de blog exclusiva para eles.

É possível personalizar tudo nele. Não é preciso reinventar a roda. O melhor é que você pode desenvolver desde o mais simples ao mais avançado site e até mesmo lojas virtuais com WordPress. Para usuários menos experientes que queiram fazer sua própria manutenção e atualizações, é perfeito.

As opções vão desde o SEO aos sistemas de pagamento. Há plug-ins para tudo, literalmente. Os melhores evidentemente são pagos. Mas o investimento vale. Caso você fosse pagar o desenvolvimento de todas as aplicações necessárias para o seu site, voltaríamos aos primórdios do desenvolvimento, quando o mais simples deles custaria em torno de 5 mil reais.

Então agradeça ao WordPress por ter em seu ‘casting’ cerca de 40% de todos os sites do planeta e mais de 50% dos blogs desenvolvidos globalmente. Sem ele precisaríamos desenvolver não apenas o seu site, mas também o CMS.

Opa! Espera um pouco. Estou falando em javanês ou marciano, certo? Às vezes a gente esquece que o leitor não tem experiência com nossos termos técnicos. Vou explicar melhor.

A sigla CMS

Sistema de Gerenciamento de Conteúdo – em inglês, Content Management System.

É um conjunto de funções utilizadas para facilitar a vida dos criadores de sites. Embora o nome pareça referenciar a uma única e exclusiva ferramenta, como é o caso das IDEs (Integrated Development Environment), esses Sistemas de Gestão de Conteúdo (SGC) são o conjunto de ferramentas para criação/edição de conteúdo na internet sem a necessidade de conhecimentos de programação.

Um dos frameworks mais conhecidos e utilizados no Brasil e no mundo é o WordPress, desenvolvido na linguagem de programação PHP, que permite que qualquer usuário com conhecimento básico ou médio de computação possa criar websites completos e bastante fáceis de manter, com um conteúdo interativo. Antes dos CMS, apenas pessoas com conhecimento avançado de programação web eram capazes de colocar e manter conteúdo no ar.

Fonte: Canal Tech – O que é CMS?

Open Source

Resumindo de forma bem simples é um programa desenvolvido em Código Aberto, onde diversos desenvolvedores colaboram com seus conhecimentos liberando as funções e aplicações criadas por eles gratuitamente.

Algumas destas aplicações possuem versões chamadas Premium, ou seja, pagas. Apesar disso, todas podem ser adaptadas e alteradas através do CSS (do inglês, Cascade Style Sheet ou Folha de Código em Cascata).

A Comunidade de Desenvolvedores do WordPress é a maior comunidade de programadores que existe, presentes em mais de 430 cidades do planeta. Provavelmente você já acessou centenas de sites desenvolvidos com ele e nem se deu conta. Para desenvolver um blog gratuito, muitas pessoas que desejam apenas expressar e compartilhar ideias, pensamentos, usam a plataforma gratuita de hospedagem do WordPress. Há limitações. Você poderá usar as aplicações disponíveis, mas não poderá instalar outros plug-ins e aplicações que quiser, ficando limitado ao que já tem por ali. Você usará seu blog como um subdomínio do WordPress, tal qual o Blogger, da Google.

Há muitos outros CMS’s disponíveis no mercado, como o Drupal, Moodle, Dolphin, PyroCMS.

Meu site é desenvolvido num CMS. Posso dispensar o profissional?

Você pode fazer as atualizações de publicações de conteúdo, mas definitivamente, dispensar o profissional, NÃO.

Encontrei algo interessante sobre isso na Wikipedia:

A resposta é não. Nenhum CMS de mercado, gratuito ou não, dispensa o papel de uma pessoa responsável pelo ambiente de hospedagem do CMS ou pela alimentação do conteúdo.

O termo “profissionais de internet” é muito amplo para responder de forma objetiva e satisfatória essa pergunta. Exemplificando, podemos separar esses profissionais da seguinte forma:

  • responsáveis pela tecnologia, infraestrutura e desenvolvimento/manutenção da ferramenta;
  • responsáveis pela criação de conteúdos para a internet;
  • responsáveis pela aprovação de conteúdos, antes de sua divulgação ao público.

Observe que a adoção de um CMS pela empresa simplesmente visa facilitar o desenvolvimento de ferramentas para gestão de websites, como recursos de organização e cadastro de notícias, por exemplo.

Assim, sempre teremos um ambiente a ser mantido, e conteúdos a serem produzidos.

Um sistema de gerenciamento de conteúdos requer uma infra-estrutura de hospedagem (servidores). Bem como, um CMS requer manutenções periódicas para garantir sua evolução, sua atualização e seu crescimento futuro. E ainda, para a implantação de novos websites, faz-se necessário o conhecimento específico do CMS sobre sua estrutura de navegação, sua estrutura de informações, sua organização de conteúdos e o reaproveitamento de recursos ali disponíveis.

Este trabalho envolve análise de sistemas, e um certo conhecimento técnico que permitirá a evolução, a qualidade e o futuro dos projetos de internet de uma empresa.

Um CMS trabalha com gestão de CONTEÚDO. O que não é possível sem um ambiente estável, estruturado e organizado.

Então pense bem antes de se aventurar como desenvolvedor. Um CMS facilita sua vida, mas não dispensa a necessidade de profissionais capacitados para o suporte de programação e manutenção da estrutura back-end, que é a parte que ‘você não vê’ do site.

Espero ter contribuído para que você possa compreender um pouco mais sobre meu trabalho e o de meus incontáveis colegas desenvolvedores.

Página anterior: Larga de ser mão de vaca.
Próxima página: Por que o Magento?

Links que podem te interessar: